BRASIL
CFBM
Portal da Transparência

05/11/18

Acupuntura é uma das habilitações com interesse crescente dos biomédicos

Método de tratamento complementar contribui para estimulação de pontos específicos que promovem relaxamento e bem-estar. O CRBM-3 possui 122 especialistas inscritos e a demanda por esta especialidade vem crescendo

Com a acupuntura podemos tratar diversas doenças. Esta modalidade milenar de terapia utiliza agulhas, moxas e outros instrumentos em pontos específicos do corpo estimulando a liberação, pelo próprio organismo, de substâncias químicas com efeito analgésico natural e promovendo benefícios para os sistemas respiratório, digestório, neurológico, entre outros. O procedimento, que também é usado para fins estéticos, pode ser realizado por biomédico.

Para atuar, o profissional deve fazer curso de pós-graduação lato ou strictu sensu, reconhecido pelo MEC e estágio de, no mínino, 500 horas. O biomédico especialista em Acupuntura deve estar inscrito no Conselho Regional de Biomedicina (CRBM-3), onde também deve ser feita a inclusão da habilitação.

"Na área de Acupuntura para aplicação de prova de título de especialista são referências a Associação Brasileira de Acupuntura, em São Paulo (SP), o Centro Internacional de Acupuntura em Campinas (SP) e o Instituto de Pós-Graduação (IPGU), em Uberlândia (MG)", opina a biomédica Malba de Sousa Vasconcelos Rabelo, inscrita no CRBM-3.

Na terapia, o procedimento mais comum é a Acupuntura Sistêmica que consiste nas aplicações das agulhas em pontos de acupuntura pelo corpo. A técnica é direcionada para todos os tipos de tratamento, sendo hoje a maior procura para tratar depressão, ansiedade e enxaqueca.

Segundo Malba, há no corpo humano 365 pontos principais e cerca de 1500 pontos com 2,5 cm de diâmetro. Os pontos principais estão localizados em canais de energia que se ligam aos órgãos, os chamados Meridianos. O procedimento é indolor e relaxante. No entanto, existem pacientes sensíveis às agulhas ou com pontos tensionados, que podem sentir um leve e passageiro desconforto. Por outro lado, existem pacientes que dormem durante a sessão, que dura em média 45 minutos.

Não há limites para quantidade de sessões ou duração do tratamento, já que a resposta é individual. "Há pacientes que saem com uma melhora significativa e visível já na primeira sessão", garante a biomédica que atua na área há cerca de 11 anos. A acupuntura não tem contra-indicação e pode ser feita em homens e mulheres de todas as idades, inclusive bebês com orientação do pediatra.

A terapia oriunda da China pode ser integrada a outros tipos de tratamentos, pois a acupuntura é reconhecida como um método de tratamento complementar, e tem comprovação científica. (Imprensa CRBM-3) 

Foto: biomédica acupunturista Malba Vasconcelos

 

 

Outras Notícias